sexta-feira, 25 de abril de 2014

Amapá, extremo do Brasil: visita à APA do Rio Curiaú, em Macapá, com seus campos alagáveis e comunidade quilombola

O Amapá parecia ser um destino distante, quase inalcançável, talvez por ser um dos extremos mais isolados do Brasil e por estar localizado em plena Amazônia. Contudo, felizmente, tive a oportunidade, mesmo que rapidamente, de visitar um pouco dos interessantes atrativos que o estado tem a oferecer, ou, melhor dizendo, do que a pequena e simpática capital do estado tem a mostrar. Como na Amazônia a água sempre se faz presente, seja através dos enormes rios, pela alta umidade ou nas chuvas praticamente diárias, nada melhor do que iniciar a primeira postagem mostrando um local onde esta é o que não falta.

Aproveite e acompanhe outras postagens sobre a Amazônia, conferindo relatos e muitas fotos de lindos lugares localizados nos estados do Pará e do Amapá (clique nos nomes para acessar). 

Canoeiros nos campos alagáveis da Área de Proteção Ambiental do Rio Curiaú, em Macapá - Por Tito Garcez em 2014

  
Rodovia do Curiaú (AP-070), em Macapá, no Amapá
Em uma área localizada um tanto ao norte de Macapá, a pouco mais de 10 quilômetros do Centro da cidade, está a Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Curiaú, que, além de possuir uma paisagem exuberante, tem uma relevante importância cultural; afinal é justamente nela que está o antigo Quilombo Curiaú, hoje chamado de Vila de Curiaú. Muitos desconhecem, mas a influência da cultura africana é muito forte no Amapá, o qual possui dezenas de comunidades quilombolas.

Casa de madeira na vila do Curiaú, antigo Quilombo Curiaú, localizada na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Casa de madeira na vila do Curiaú, antigo Quilombo Curiaú, em Macapá

Casa na vila do Curiaú, localizada na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Casa na vila do Curiaú, localizada na APA do Rio Curiaú, em Macapá
Africanos foram levados ao estado principalmente para trabalhar na construção da Fortaleza de São José de Macapá, no século XVIII (aproveite e clique aqui para conferir a publicação sobre essa que é considerada a maior fortificação da América Latina). As raízes africanas podem ser encontradas tanto na culinária como na religiosidade e nas danças e festividades locais. O Marabaixo, por exemplo, que é um um tipo de ritual de sincretismo religioso que reúne som com tambores, canto e dança, é considerado a principal manifestação cultural do estado. Na vila de Curiaú é interessante notar as construções, geralmente de madeira, e a vida tranquila que levam os que lá vivem.

Balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Deck do balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá

   Jaçanã (Jacana Jacana) no balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Jaçanã (Jacana Jacana) no balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú
Voltando a falar de água, a área que pode ser considerada mais turística é a do chamado Balneário do Rio Curiaú, localizado às margens da rodovia do Curiaú (AP-070), não apenas nos finais de semana e feriados, mas principalmente nas férias de julho, costuma ser muito frequentada principalmente pelos próprios amapaenses. Dentre os principais atrativos turísticos de Macapá, o balneário ainda não é um dos mais conhecidos e visitados por pessoas de fora, portanto, visitando-o, pode se ter o prazer aproveitá-lo com absoluta tranquilidade.  

  Balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Bar no balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Restaurante do balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá

No local, existem alguns bares e restaurantes simples. Ao lado da ponte  do rio Curiaú, foi construído um grande deck de madeira rodeado de alguns quiosques que podem ser usados livremente pelos frequentadores. Entre essa estrutura e a ponte, existe uma área reservada para aqueles que queiram entrar na água e nadar ou simplesmente relaxar.  

Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Curiaú, em Macapá

Quiosques do deck do balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá    
Quiosques do deck do balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú, em Macapá

Mas o melhor do balneário, sem dúvida, é a bela vista para a extensa área de campos inundáveis. A paisagem pode ser observada de qualquer ponto, inclusive dos dois lados da rodovia que corta a área alagada. Além da vegetação típica de ambientes alagáveis, é possível observar, ao longe, uma  área de mata fechada contrastando notavelmente com áreas utilizadas para pastagem.

Canoeiros navegam pelo Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá

Canoeiros na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Canoeiros na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá


Ao passar pouco tempo admirando a paisagem, é possível notar que, para chegar às comunidades que ficam mais distantes, por conta da vegetação aquática, os canoeiros não utilizam remos, mas sim longos galhos que podem chegar até o fundo, para assim dar sustentação e impulsionamento de  pequenas canoas.

Paisagem da APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Paisagem da APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá

Jaçanã (Jacana Jacana) no balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Jaçanã (Jacana Jacana) no balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú

No que diz respeito à fauna, as aves são as que se destacam. Exemplares de Jaçanã (Jacana, jacana), de Andorinha-do-rio (Tachycineta albiventer) e de diferentes espécies de garças podem ser vistas facilmente. Quanto aos mamíferos, podem ser observados, ao longe, sobretudo os búfalos que são comuns nessa região do Norte do país.

Andorinha-do-rio (Tachycineta albiventer) no balneário do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Andorinha-do-rio (Tachycineta albiventer) no balneário do Rio Curiaú

   Casa na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Casa na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Terminado o passeio por essa tranquila e bela região de Macapá, retornamos à sede do município para conhecer os mais visitados atrativos turísticos, com destaque para a Fortaleza de São José de Macapá -considerada a maior da América Latina e a maior do mundo a ser construída pelos portugueses, para o Monumento do Marco Zero do Equador e para o interessante Museu Sacaca. Agradeço imensamente à equipe do Instituto Municipal de Turismo de Macapá (Macapatur) por todo o apoio que me foi dado enquanto conhecia a cidade, que se mostrou ser uma das preciosidades da Amazônia.

 Rodovia do Curiaú (AP-070) na área da APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Rodovia do Curiaú (AP-070) na área da APA do Rio Curiaú, em Macapá

Como chegar

Para chegar ao balneário e à vila do Curiaú através de transporte público, pode-se tomar, no Centro de Macapá, um ônibus da linha Curiaú/Centro. A linha funciona das 6:00 às 22:00, com intervalo aproximado de 80 minutos. É aconselhável esperá-lo preferencialmente nas paradas da Av. FAB. Na cidade, a tarifa custa R$ 2,10 e, aos domingos e feriados, custa metade, ou seja, R$ 1,05.

Andorinha-do-rio (Tachycineta albiventer) na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Andorinha-do-rio (Tachycineta albiventer) na APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá

Quiosque no deck do balneário do Rio Curiaú, na APA do Rio Curiaú, em Macapá

Placa da APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá
Placa da APA do Rio Curiaú, em Macapá, no Amapá

Aproveite e acompanhe outras postagens sobre a Amazônia, conferindo relatos e muitas fotos de lindos lugares localizados nos estados do Pará e do Amapá (clique nos nomes para acessar).  

4 comentários:

  1. Parabéns pelo Blog, Tito. Estou gostando muito das fotos e relatos das suas viagens pelo Brasil. :)

    Falando em extremos, você tem planos para conhecer os estados de Roraima e do Acre? Quais os Estados da região norte você já conhece?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, bom dia! :)

      Fico contente em saber que está gostando de acompanhar. Sobre a tua pergunta, em se tratando do Norte, por enquanto só conheço os estados do Pará e do Amapá, mas quero muito visitar os demais.

      Abraços!

      Excluir
  2. Há alguma espécie de Anatídeo (Patos,Marrecos Selvagens) nesse campo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Estevão! Se não estou enganado, vi alguns a uma certa distância.

      Excluir

Agradeço o contato! =)